quarta-feira, 4 de janeiro de 2017


William Silva: o jockey que revelou Bagé in Concert

 



Contrariando um história comum no turfe ele não "nasceu" em cima de um cavalo nem tampouco tinha o sonho de ser jockey ou mesmo começou nas retas antes de montar em um hipódromo. O jockey William Pereira Silva  nasceu na capital gaúcha, em uma família com tradição de trabalhar na cozinha - o pai e a mãe eram chefs.  "Se o meu pai estivesse vivo, acho que não seria jockey. Quando eu tinha 8 anos ele faleceu e eu comecei a frequentar o Hipódromo do Cristal, para assistir." -  conta William. Alguns anos mais tarde, foi por lá que convidaram ele para trabalhar na hípica e  e ele decidiu arriscar - primeiro com cavalos de salto, depois começou a   ajudar em uma cocheira de PSI, fazendo de tudo um pouco. Na sequência,  virou escovador. Foi nesta lide que ficou amigo de um domador, a quem comecou a ajudar nos trabalhos com corda e estreitou sua relação com os cavalos.  Nesta função William montou pela primeira vez na vida em um cavalo de corrida, um potro de 2 anos. Ele tinha 16 para 17 anos e foi aprendendo na amarra, com muita vontade, como ele mesmo diz. O debut na pista  - em um treino - foi só  depois de completar 18 anos,  com o cavalo Nego Veio, de Victor Hugo Barnasque. Aos 19, e com o apoio da ex-joqueta e hoje starter Suzana Davis, ele iniciou como aprendiz.

"O primeiro cavalo que eu coloquei o selim, para galopar na raia foi o Gold Seal e minha estréia foi com Vento Pampeano".  A intimidade com os cavalos só cresceu com o tempo. Depois te ter passado por várias funções dentro do hipódromo, ele aprendeu a conhecer os cavalos, o que, segundo William é  indispensável para o sucesso de um jockey: " é  preciso conhecer o cavalo, saber como tirar o melhor dele". E para quem duvida que ele encontrou mesmo um canal de comunicação com os cavalos, pode conferir em seu perfil na rede social, no qual publicou na manhã  do dia em que conquistaria sua maior vitória no turfe que o potro Bagé in Concert (Silver Train e Icy Welcome)  estava em sua melhor forma e não  tinha como perder. Dito e feito! Da estreia, como aprendiz, até  a conquista da mais importante carreira em pista de areia do Brasil - o GP Bento Gonçalves - foram 6 anos. Tempo este em que conquistou  vários fãs dentro e fora das pistas de corridas com sua sensibilisade e notório amor pelo que faz. Naquele memorável 15 de outubro de 2016, quando William cruzou o disco vencendo o primeiro Bento que disputou levou muitos as lágrimas. Muitos que torciam pelo menino de olhos azuis, que não desistiu diante das dificuldades e ensinou humildade e superação. Um destes fãs e grande incentivador é o veterano Hermínio Machado, treinador ganhador de várias estatísticas no Hipódromo do Cristal e que destaca os méritos de William: simplicidade,  dedicação  e força  de vontade.

O caminho deste vencedor teve um grande percalço do qual ele não  guarda nem sequer mágoas: um acidente gravíssimo que por pouco não  lhe tirou em definitivo os movimentos da perna. Foi em 2014, uma semana antes do GP Bento Gonçalves que William Silva fraturou o femur em um trabalho de raia e ficou 8 meses parado. "Se dependesse dos médicos, teria ficado mais tempo em repouso antes  de voltar a montar. Venceu a força  de vontade, eu estava muito ansioso para voltar a montar. Mesmo no hospital, acordava todos os dias no mesmo horário da raia. Quando voltei, voltei com tudo! E lembro com emoção que no primeiro cavalo que montei o coração quase saiu pela boca. Mas venci o medo. Coragem, assim como força de vontade, constroem um jockey vencedor." - conta William Silva.

Apesar de acreditar  nas oportunidades da vida,  William Silva se dedica na raia -  para conhecer os animais que monta e obter um bom preparo físico - e também estuda os adversários de cada corrida.
E é esta dedicação que ele esta devotando ao potro Bagé in Concert que disputará o GP Ramirez no próximo  6 de janeiro com a monta do legendário Jorge Ricardo. William Silva está desde o dia 28 de dezembro no Hipódromo Nacional de Maroñas, no Uruguai e tem boas notícias para os torcedores brasileiros:  "O potro está, assim como no Bento, em sua melhor forma. Tenho certeza que J. Ricardo saberá tirar o melhor dele!".

Carol Strussmann

By: Constanza Pulgar - De Turf Un Poco

Nenhum comentário:

De Turfe Um Pouco

De Turfe Um Pouco
Imprensa Internacional